Nada contra as estatísticas que confirmam que os brasileiros preferem uma cerveja geladinha, mas os restaurantes brasileiros estão constantemente atualizando suas cartas de vinho pensando no gosto de seus clientes por esta delícia.

No verão, chamam a atenção os vinhos de cor clara, brilhantes como o sol. São os vinhos conhecidos como brancos (normalmente elaborados com uvas brancas e às vezes com uvas tintas desde que estas não passem por maceração com as cascas). Vinhos leves e vívidos, com sabores e aromas de flores e de frutas cítricas, esbanjando acidez e frescor natural da fruta.

Os espumantes Brut são grande pedida para acompanhar os aperitivos tanto na praia, na piscina como no campo.

Os Proseccos são bem refrescantes podendo agradar aos gostos mais delicados.

Os vinhos brancos tranquilos (vinhos que não tem gás carbônico), preferencialmente secos, também são muito indicados para o verão. Vinhos com as uvas brancas Chardonnay com ou sem passagem em madeira, Sauvignon Blanc, Viognier, Pinot Blanc, Riesling dentre outros tantos, agradam e são excelentes para o verão. Aliás, muitos restaurantes orientais oferecem além do tradicional saquê, um bom vinho branco seco da uva Sauvignon Blanc ou Riesling, que são especiais com esta comida exótica, tão em voga.

Ainda, a opção dos vinhos rosés (elaborados com uvas tintas) é excelente àqueles que  gostam de um vinho que lembre o sabor de um tinto, com levíssimos taninos e, cuja cor remete  ao "por do sol". Apesar de não serem unanimidade, os rosés combinam muito bem com pratos potentes como uma paella com frutos do mar, pratos com sabor intenso de alho, por exemplo, e cá entre nós, combinam sim com a maioria dos pratos.

Para os que não abrem mão de um vinho tinto mesmo no verão, a ideia é um tinto bem leve como o francês Beaujolais feito com a uva Gammay, ou o italiano Valpolicella simples (região do Vêneto) feito com uvas Corvina Veronese, Molinara e Rondinella e também o Bardolino feito com uvas do Valpolicella e mais a Negrara. Todos estes vinhos devem ser jovens (safra recente) e podem ser servidos refrescados pois tem pouco corpo e  teor alcoólico em torno 11%. Inclui-se ainda para os mais exigentes vinho da delicada uva pinot noir, que comumente é leve, fresco e pouco tânico.

E para as sobremesas pode-se servir os vinhos doces naturais bem gelados, como os vinhos botrytizados (elaborados a partir de uvas com altíssimo teor de açúcar devido ao fungo botrytis cinérea ) ou os late harvest (uvas de colheita tardia) que por serem doces acompanham tortas, bolos e sorvetes. A harmonização desses quitutes doces com os espumantes tipo Asti, elaborados com a uva Moscatel, com alto teor de açúcar também é bem-vinda. 


Degustem bem o verão a bordo de seu vinho preferido!


Fonte: Enoamigos